20 de septiembre de 2010

Crônica de um regresso anunciado.

Eloy Page


Estamos ante as portas do início do regresso do substituído ex-presidente (Zelaya) que já foi juramentado no PARLACEN (Parlamento Centro-Americano) em representação do Estado de Honduras.


É evidente que para ter sido juramentado como representante do Estado hondurenho nesse organismo regional, deve ter recebido o aval do Governo de Honduras, especificamente do Poder Executivo. E Pepe Lobo pôs-se em conchavos com a esquerda regional, para favorecer os planos do Foro de São Paulo executados na América Central, através da Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) de El Salvador, e da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) da Nicarágua.


Pepe Lobo, assim como deixou o substituído sair da sede diplomática do Brasil e correu para retirar a denúncia contra eles que o governo introduziu na CIJ, agora está confabulando secretamente, propiciando seu eventual retorno, mesmo que para isso tenha que cometer abusos, desrespeitar as leis. Não importa, o fim justifica os meios.


A nomeação do substituído no PARLACEN não é mais que um abuso da esquerda regional dentro do organismo. A junta diretiva em reunião de trabalho dirigida por seu presidente, o sandinista Jacinto Suárez, há apenas algumas semanas havia determinado que para a juramentação do substituído, deviam antes submeter a decisão à Corte Centro-Americana de Justiça, a fim de que emitisse seu ditame a respeito para então atuar de acordo com o mesmo. Em um franco abuso de autoridade, o sandinista presidente do PARLACEN, prevendo que dentro de apenas um mês entrega a presidência pro tempore, sem haver sequer enviado o processo à Corte Centro-Americana de Justiça, procede à sua juramentação.


Claro, tudo isto não é possível fazê-lo, em primeiro lugar, sem o respaldo dos deputados do FMLN e do FSLN, e o que para nós hondurenhos deve chamar a atenção, sem o aval e o respaldo do Governo de Pepe Lobo. Agora é que entendemos o porquê das visitas secretas de Pepe Lobo ao presidente do FMLN em El Salvador. Agora é que se entendem as viagens relâmpago dos comunistas hondurenhos à República Dominicana, pagas pelo FMLN, que demonstra com suas ações que não há tais ingerências em assuntos estrangeiros e que, do mesmo modo que o câncer, seus interesses não têm fronteiras e vão fazer o que for necessário para cumprir seus planos, não importa que o cenário seja qualquer país da América Central.


Mas, voltando a Pepe Lobo, não resta dúvida de que confabulando com a esquerda regional contra Honduras, desse o beneplácito para que o substituído tenha sido juramentado no PARLACEN. Que surpresa mais nos prepara o flamejante presidente eleito nas eleições mais votadas do nosso país? Que poder tão grande faz com que um depositário das esperanças democráticas de todo um povo, lhe dê as costas e favoreça os inimigos mais exasperados de nossa democracia?


O sandinismo tem que entregar a presidência do PARLACEN em pouco menos de um mês. Para evitar que o futuro presidente resista a juramentar o substituído, mesmo apesar do ditame da própria junta diretiva do organismo, em abuso próprio das organizações comunistas, foi juramentado. Pepe Lobo se pronunciará? Retirará Honduras do PARLACEN? Ou continuará propiciando os planos dos inimigos de Honduras? Ou continuará utilizando os patos mentais que tem no Congresso, que levantam a mão quando ele lhes indica, com a finalidade de facilitar uma Assembléia Nacional Constituinte? E os ex-presidentes nacionalistas, onde estão? Confabulados todos?


Só unidas as forças democráticas de Honduras sairemos dos ataques da esquerda internacional, confabulados com os mercadores das esperanças democráticas de nosso povo.


San Pedro Sula, 19 de setembro de 2010.


http://daviddeamerica.com


Tradução: Graça Salgueiro

http://observatoriobrasileno.blogspot.com/
http://notalatina.blogspot.com/

No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada